1 março 2018

Martin 167-A3


O Martin Model 167 é um bombardeiro bimotor americano desenvolvido pela empresa Glenn L. Martin no final dos anos 30. Embora o sucesso do DB-7 selasse o destino nas forças americanas, rapidamente se voltou para a Europa onde serviu com lealdade froças francesas e britânicas até ao final da guerra. Os pilotos vão poder esperar o Martin 167 A3 na Armée de l'Air na atualização 1.77 Advancing Storm!

History

O bombardeiro médio Martin Model 167 foi desenvolvido como resposta a uma série de requerimentos exigidos pela USAAC em 1938. Seguindo estes requerimentos, Martin desenvolveu o Model 167, que recebeu a designação oficial de XA-22. No entanto, apesar de mostrar um desempenho satisfatório, o XA-22 perdeu a competição para o Douglas DB-7 (que se tornou o A-20 Havoc), resultando no contrato da Douglas com a USAAC. O que normalmente significava desastre para a maioria dos projetos que chegavam a esta fase, não foi o caso para o desenho de Martin. Com um conflito a gerar-se na Europa, nações como a França ou o Reino Unido estavam desesperadamente a juntar qualquer equipamento que fosse oferecido. A França em particular pretendia comprar aeronaves de construtores fora do seu ambiente interno devido à sua limitada produção. Estes construtores era em muitos casos empresas norte americanas, tal como a Martin. De qualquer forma as primeiras ordens francesas do novo bombardeiro da Martin chegou logo, poupando o projeto da ruína.

A primeira encomenda de 200 Martin 167 a ser construída com algumas modificações para melhor otimização, tal como a instalação de armamento francês, armas, sistema métrico, e motores. Martin, ansiosa por cumprir a ordem, quase duplicou a produção e conseguiu construir 100 aeronaves no espaço de seis meses. No entanto, a entrega de unidades foi atrasada até Outubro de 1939 até ao levantamento do embargo de armas norte americano. Durante este período, os franceses ampliaram a encomenda para mais 100 unidades, no entanto, antes da encomenda ser inteiramente entregue a França já tinha sido ocupada pela Alemanha. Em Junho de 1940 apenas «25 aeronaves tinham chegado à França. Mesmo assim, as unidades que chegaram tiveram um bom desempenho em combate, ultrapassando mesmo alguns bombardeiros franceses como o LeO 451 tanto em eficácia de combate como em perdas. Assim que o armistício foi assinado, os aviões restantes foram transferidos para África sob o comando do governo Vichy, tomando parte em missões de bombardeamento a posições aliadas. Em 1943, os Martin 167 estacionados em África foram substituídos por novos aviões aliados assim que os franceses voltaram aos aliados. Um total de 450 bombardeiros Martin 167 foram construídos e continuaram a servir nas forças francesas e britânicas até 1945.

image
image

No War Thunder, o Martin 167-A3 vai estar na linha de bombardeiros dos níveis iniciais da árvore francesa na atualização 1.77 Advancing Storm. À semelhança dos bombardeiros franceses já presentes no War Thunder, o Martin 167-A3 vai continuar a tendência de elevada velocidade para a classe a que pertence. Dito isto, os dois motores Wright R-1820 Cyclone vão permitir aos pilotos alcançar velocidades de 500 km/h a médias altitudes. Com uma respeitável velocidade velocidade máxima juntamente com uma excelente mobilidade providenciada pela fuselagem leve, os pilotos da aviação francesa vão facilmente adaptar-se ao Martin 167-A3.

O Martin 167-A3 é capaz de carregar até 800 kg de bombas internamente. Precisa de algo mais? Não há problema, o Martin 167-A3 tem algo mais. O avião está equipado com quatro metralhadoras de 7.5 mm FN-Browning com 750 munições por arma. Isto vai permitir aos pilotos apoiar os esforços das equipas contra alvos ligeiros após largarem todas as bombas. Caso esteja em apuros, o hemisfério traseiro do avião está protegido.

Download Wallpaper:

O Martin 167-A3 vai estar no nível I da árvore francesa na atualização 1.77 Advancing Storm. Fique atento às notícias acerca dos últimos desenvolvimentos do War Thunder. Até à próxima!


DevBlogs anteriores:


A Equipe War Thunder

Arquivos de cookies

Esta página utiliza cookies. Ao continuar a aceder esta página, você concorda com a utilização de cookies.