21 maio 2019

Hunter F.6

Download Wallpaper:

O F.6 é uma versão melhorada dos Hawker Hunter que entraram em serviço nos meados dos anos 50. Os fãs da aviação britânica vão ficar bastante satisfeitos pela sua chegada na próxima atualizção com seus STRAAM!

Resumo: uma nova modificação do Hunter com melhor desempenho e novos mísseis ar-ar!

História

Com a disponibilidade dos mais potentes motores Rolls-Royce Avon 200 no início dos anos 50, a Hawker começou o desenvolvimento de uma nova modificação do Hunter, que resultaria no Hunter F.6 - uma das últimas versões de caça da família.

O novo Hunter tinha, para além do novo motor, vários melhoramentos e alterações, notavelmente a asa redesenhada que melhorou a estabilidade em voo transónico. O primeiro protótipo do F.6 voou em Janeiro de 1954, com a produção em série a ser iniciada em 1956. No total, 383 aviões deste tipo entraram em serviço na RAF antes de serem descomissionados no inicio dos anos 80.

No final dos anos 70, o Hunter F.6 foi usado como plataforma de teste para um novo míssil ar-ar desenvolvido pela Hawker Siddeley desde os anos 60. O SRAAM, ou Short Range Air-to-Air Missile, míssil ar-ar de curto alcance, foi um sistema de armamento desenvolvido como alternativa aos Sidewinder norte americanos e os Firestreak britânicos.

Como o nome sugere, os STRAAM foram desenhados para distâncias muito curtas, nomeadamente dogfights e onde os pilotos sentiam dificuldades a conseguir bloqueios fiáveis. Como tal, os STRAAM possuíam uma agilidade extremamente boa a menores custos, mas tinham um alcance severamente reduzido. Apesar disto, o armamento não foi usado, mas desenvolvido para versões mais avançadas que foram eventualmente adotadas e ainda estão em uso.

Hunter F.6, caça a jato, Grã-Bretanha, Nível VI.

pros:

  • Highly agile short-range air-to-air missiles
  • Deadly 30mm ADEN cannons
  • Enhanced handling at high speeds
  • Bomb and rocket hardpoints

cons:

  • Subsonic
  • No afterburner
image
image

No War Thunder, o Hunter F.6 será um novo caça do topo da árvore britânica na próxima atualização 1.89. Comparado com a sua versão anterior, o F.6 tem um melhor desempenho a elevadas velocidades e a capacidade de disparar novos e experimentais mísseis ar-ar!

Antes de falarmos dos novos mísseis, vamos mencionar o próprio Hunter F.6. A diferença mais notória do Hunter F.6 em relação ao F.1 é imediatamente avistada pelos pilotos, a presença do novo motor turbojato Rolls-Royce Avon 203. Embora o Avon 203 não tenha afterburner, ele produz mais potência que o predecessor, permitindo alcançar uma velocidade máxima de 1149 km/h (Mach 0.95) ao nível do mar.

Facto: os mísseis STRAAM eram tão ágeis que num testes quase colidiu com o avião que o lançou.

Mais, o Hunter F.6 tem uma asa redesenhada do tipo dogtooth. Como resultado, os pilotos notarão melhorias na manobrabilidade e estabilidade a velocidades elevadas. Os canhões ADEN de 30 mm  foram equipados com compensadores nos canos, reduzindo o coice dos mesmos. A resultante estabilidade vai ajudar bastante a exatidão dos tiros durante os combates.

Após discutirmos o desempenho do avião em relação à versão presente no jogo, vamos falar dos quatro mísseis STRAAM instalados. Tal como mencionado anteriormente, os STRAAM foram um míssil ar-ar britânico experimental. Ao contrário dos Sidewinder e Firestream, o controle dos mísseis foi conseguido defletindo o jato, permitindo ao STRAAM alcançar níveis de agilidade elevados e melhor restreio de alvo, tornando mais difícil ao mesmo escapar da sua zona de restreio. No entanto, este míssil também traz desvantagens, assim que a reserva de combustível acabar, perde todo o controle. Por isso, os pilotos do War Thunder deverão usar o míssil com cuidado e apenas durante dogfights.

Apostamos que você está mortinho pela atualização 1.89 Imperial Navy para poder voar o Hunter F.6 - está destinado a tornar-se um avião obrigatório para jogadores agressivos. Até lá, continue do olhos postos nas notícias!


A Equipe War Thunder

Devblogs anteriores:

Arquivos de cookies

Esta página utiliza cookies. Ao continuar a aceder esta página, você concorda com a utilização de cookies.