War Thunder background
BMP-1 - O Mestre da Adaptação
Atenção! Esta notícia foi publicada na versão antiga da página. Pode haver problemas com a mostragem da mesma em certas versões do navegador.


O BMP-1 é um veículo de combate de infantaria desenvolvido pela União Soviética do pós-guerra para ocupar o lugar numa nova doutrina de combate moderna. Tanqueiros, fiquem atentos à próxima atualização, este veículo anfíbio vai estar esperando por presas em lugares inesperados!

História:

O BMP-1 foi o primeiro veículo de transporte de infantaria produzido em massa pela União soviética e desenvolvido no inicio dos anos 60. Após o final da Segunda Guerra, o alto comando soviético visionou o potencial de futuros conflitos envolverem armamento químico e biológico. Isto significava que em caso de tais conflitos haveria a necessidade de proteger as tripulações de incidentes nucleares, radiação e outros perigos causados por armamentos de destruição massiva. A começar tão cedo quanto os últimos modelos dos T-54/55, os veículos soviéticos começaram a ser equipados com equipamentos para oferecer proteção a estes perigos. Veículos como os BTR-152, transportes de tropas ordinários eram frequentemente abertos em cima, pelo que não evitavam diversos perigos para a tripulação. A resposta a isto foi o desenvolvimento de um veículo híbrido que pudesse desempenhar o papel de transporte e combate.

O resultado do desenho foi o BMP-1. Ele era rápido, possuía blindagem leve e anfíbio, capaz de transportar até 8 soldados para além da tripulação base de três, enquanto oferecia uma boa proteção contra armas e canhões ligeiros. O BMP-1 estava armado com um canhão de alma lisa de 73 mm apoiado com um sistema de recarregamento automático e um lançador de ATGM no topo do cano, para abater alvos a longas distâncias. Ao contrário da doutrina ocidental, onde os veículos de combate de infantaria colocavam as tropas no campo de batalha e então eram apoiados por outros MBT, o BMP-1, apesar de dar coices valentes, eram destinados apenas para colocar as tropas do campo de batalha e retirar em segurança.

Por volta de 20 000 BMP-1 foram construídos só na URSS no período 1966-1982. Desde a sua introdução em 1966, BMP-1 tem estado em serviço em muitos países do mundo, incluindo na Alemanha Oriental, Finlândia, China, Polónia, Afeganistão e muitos outros. No entanto, o serviço do BMP-1 ainda não terminou, pois vários exércitos ainda hoje modernizam as versões iniciais para uso próprio.



O BMP-1 vai, ao contrário da doutrina que seguiu, jogar um papel mais relevante nos campos de batalha virtuais do War Thunder. Embora não carregue tropas para batalha, o BMP-1 vai usar a sua excelente mobilidade e baixa silhueta para bater terreno e fazer manobras de flanqueamento. A blindagem do BMP-1 não é excepcional, com apenas 33 mm de espessura máxima O arranjo dos módulos na torre, que em si é uma torre muito pequena, ajuda na sobrevivência pois possui apenas o canhão e o artilheiro. Levar um tiro na torre vai, ao contrário dos tanques soviéticos da guerra, não vai provavelmente levar à inutilização do veículo.


Wallpaper: 1280x1024 | 1920x1080 | 2560x1440


Falando de canhões, o BMP-1 possui um canhão de alma lisa de 73 mm 2A28 Grom, que pode disparar munições HEAT e HEAT-FS com boas capacidades de penetração. No entanto, quando operar o canhão, os tanqueiros vão enfrentar dois problemas - baixa depressão e alcance. O canhão de 73 mm pode disparar munições de forma exata apenas até 1300 metros. Para atingir alvos acima dessa distância, o BMP-1 também está equipado com um lançador de ATGM acima do cano. O lançador pode disparar até quatro ATGM de primeira geração 9M14 Malyutka, que tem um alcance de 3000 metros.

O BMP-1 vai ser uma nova adição aos níveis mais elevados das forças terrestres soviéticas que estão chegando com a atualização 1.71!

Encontramos-nos em batalha!


Devblogs anteriores:


A Equipe War Thunder

Ler mais:
Su-27SM
Pre-order: Leopard 2A4M CAN
  • 28 maio 2024
Opção de Equipes Menores nas Batalhas Realistas Aéreas
  • 27 maio 2024
XM800T: Destemido
  • 24 maio 2024

Comentários (0)

A notícia já não está disponível para comentar