War Thunder background
Caçatanques dos EUA
Atenção! Esta notícia foi publicada na versão antiga da página. Pode haver problemas com a mostragem da mesma em certas versões do navegador.

1280x1024 | 1920x1080


Nos primeiros estágios da segunda guerra mundial, a parcela mecanizada das forças americanas era limitada. A maioria dos tanques disponíveis eram rápidos, mas não eram bem armados ou blindados. Após a queda da França em 1940, o Gabinete Americano iniciou estudos nas táticas usadas pela Wehrmacht para explorar suas fraquezas e elaborar novas estratégias. No início de 1941, o general George C. Marshall desenvolveu a teoria de uma força móvel “destruidora de tanques”.

M3 GMC equipado com o canhão de 75 mm M1897

A ideia era criar unidades equipadas com veículos de combate rápidos e bem armados que serviriam como uma “força anti-blindados” do exército. A criação de tais unidades também, na visão dos generais americanos, permitiriam tanques normais de cumprir sua função original - explorar pontos fracos nas linhas de frente e causar caos nas linhas traseiras. Dentre os defensores desta teoria estava o chefe de gabinete do quartel general - general Leslie McNair.

Este nível alto de suporte rapidamente resultou na criação do Tank Destroyer Center em Fort Meade no estado de Maryland no fim de 1941. Logo, o exército iniciou a procura por projetos apropriados para serem descritos como “tank-destroyers”.

Entretanto havia um problema - na época, os EUA não possuía muitas armas ou veículos aprorpriados para a categoria. Uma solução provisória, no entanto, foi rapidamente descoberta. Em junho de 1941, o departamento de material bélico, ou Ordnance Department, rapidamente decidiu criar um novo caçatanques montando um canhão de 75 mm M1897 no semilagarta de modelo M3. O protótipo do novo veículo, denominado T12 Gun Motor Carriage foi rapidamente completado e sua produção em série foi iniciada em setembro de 1941.

M10 Wolverine com o canhão de 76,2 mm M7

Seu combate de estréia ocorreu em dezembro de 1941 contra as forças japonesas nas Filipinas. Após a inclusão de mudanças no design (incluindo o alargamento do escudo de blindagem da arma), o novo caça-tanques foi padronizado sob a designação “M3 GMC”. Este rapidamente se tornou o principal caça-tanques do exército americano e foi utilizado no norte da África durante a operação Tocha, bem como no teatro de guerra do Pacífico onde seu canhão foi utilizado principalmente como um “destruidor de bunkers”.

Desde o início, era sabido que o M3 GMC era uma solução temporária. Por este motivo, em maio de 1942 um novo protótipo de caça-tanques foi apresentado - o T35E1. Baseado no chassi do tanque médio M4 e armado com uma arma antitanque de 3 polegadas. Foi então decidido levar o T35E1 para a produção em série e o padronizar sob o nome “M10 GMC”.

Os novos caçatanques chegaram às linhas de frente em 1943 e participaram em batalhas na Tunísia, Itália, Franca e no Pacífico. Os britânicos também receberam caçatanques M10 sob o programa Lend-Lease; no entanto, eles decidiram armá-lo com o canhão antitanque de 17 libras para aumentar sua eficiência antiblindados. Os caçatanques M10 GMC armados com o canhão de 17 libras ficaram conhecidos como “Aquiles”.

M18 'Black Cat' com o canhão de 76 mm M1A2

Engenheiros americanos propuseram novos desenhos para caçatanques ainda mais poderosos. Após a campanha na Tunísia, ficou evidente que o canhão M3 de 75 mm não era apto para combater os novos tanques alemães. Isto resultou no abandono de qualquer projeto que utilizava a arma - incluindo o protótipo caçatanques T67. Foi dada prioridade para o desenvolvimento do protótipo T70, armado com o muito mais potente canhão de 76 mm.

Em abril de 1943, protótipos do T70 foram testados em Aberdeen Proving Grounds e, após a incorporação de certas mudanças necessárias, este foi padronizado e iniciada a produção em série sob a designação “M18 GMC”. O novo caçatanques era uma melhora total sobre o M10 - apesar de ter uma blindagem muito mais leve, era armado com uma poderosa arma e possuía melhor mobilidade. O Hellcat estreou em combate na Frente Ocidental na Europa, em 1944. No final do conflito, foi considerado o melhor caça-tanques dos EUA.

T95 equipado com o canhão de 105 mm T5E1

Mesmo antes disso, o exército dos EUA iniciou um projeto para aperfeiçoar o M10 Gun Motor Carriage. O aparecimento do tanque pesado Tiger na Tunísia demonstrou a necessidade de substituir o canhão e 3 polegadas do M10 por um armamento mais potente. O salvador foi rapidamente encontrado - o canhão M1 de 90 mm. O novo protótipo ficou conhecido como T71 Gun Motor Carriage e foi testado em Anberdeen em março de 1943.

Os resultados do teste foram satisfatórios para o alto escalão americano que rapidamente fizeram o pedido de 500 unidades do veículo a ser designado “M36 GMC”. Os novos caçatanques chegaram ao Teatro de Operações na Europa em agosto de 1944. Suas tripulações gostavam muito do veículo, principalmente por seu armamento de 90 mm.

Após a segunda guerra mundial, a doutrina do uso de tanques no exército dos Estados Unidos havia mudado. Experiências de combate demonstraram que caçatanques eram veículos demasiado especializados - apesar de serem eficientes contra tanques inimigos, sua blindagem fraca significava que eles eram extremamente vulneráveis à artilharia, minas e foguetes antitanque portáteis carregados pela infantaria inimiga. Nos olhos do alto escalão americano, a linhagem de caça-tanques estava fadada - por isso, após a guerra, todo o desenvolvimento de novos caça-tanques foi cessado e a força de caça-tanques foi dissolvida.

Autor: Adam "BONKERS" Lisiewicz


Numa das futuras atualizações iremos introduzir o decalque
''Emblem of the 628th Tank Destroyer Battalion'' no War Thunder:

Decalque feito por Branislav "InkaL" Mirkov


Já teve a chance de jogar com os caçatanques norte americanos?
Qual é o seu veículo preferido atualmente? Diga-nos nos comentários!


Ler mais:
Atualização Seek & Destroy
Thunder Show: MILK TRUCK AA
MPK Pr.11451: Ameaça de Água Rasa
  • 18 junho 2024
The Shooting Range #411
  • 17 junho 2024