War Thunder background
Questões respondidas pelos desenvolvedores

Caros jogadores,

Temos outra ronda de questões exclareceidas pelo produtor do War Thunder Vyacheslav Bulannikov!

Veículos terrestres

Q. Há planos para uma sub-árvore para as forças terrestres italianas para reforçar seus alinhamento da mesma forma que os veículos da África do Sul e Finlândia providenciaram às respetivas árvores?

  • Sim temos planos.

Q. Com a recente reformulação das vozes de tripulaçõe snavais, é possível vermos algo similar para veículos terrestres? Incluindo as nações sub-árvore da África do Sul e Finlândia assim como vozes separadas para veículos britânicos que neste momento ainda usam as americanas.

  • Sim, estamos a trabalhar nisso.

Q. Há alguns anos atrás foi mencionado que mais tanques leves britânicos estavam sendo considerados. Há planos para muitos dos seus famosos como os Saladin, Skorpion, FV721 Fox, FV432/30, Ferret e várias variantes dos Warrior que neste momento não estão no jogo? Há potencial para uma linha baseada em tanques leves? and several Warrior variants that currently have not found their way to the game? Is there potential for a whole light tank based line? Existem exemplos domésticos disponíveis para adicionar em quase todos os níveis.

  • Sim, os veículos estão em planeamento.

Q. Com os novos indicadores de direção em batalhas terrestres há planos ou considerações para permitir uma opção para trocar entre os efeitos antigos e os novos, ou desligar para maior customização?

  • O trabalho está em progresso neste momento, e provavelmente iremos implementar isso na primeira atualização de 2023.

Q. Quando a patente e lucratividade dos veículos irão ser alterados de acordo com o Battle Raging de um veículo que teve seu BR alterado várias vezes? Por exemplo, o E.B.R. (1954), que inicialmente tinha um BR de 4.7 e nível III, mas agora é 6.3 e com nível III ainda, com nível de lucro equivalente ao do AMX-13-M24, que tem um BR de 3.7 e nível II.

  • O multiplicador de Silver Lions não reflete a lucratividade. Se um veículo tem um multiplicador pequeno, significa que ganha demasiado, e não que tem lucratividade de acordo com o valor. Exemplo: o E.B.R. (1954) faz 5000 SL/min em batalhas, mas deve ganhar 4000 SL/min - por isso o multiplicador é de 0,8; O AMX-13-M24 ganha 2000 SL/min e deve ter 2500 SL/min - pelo que o multiplicador será 1,25. Apesar do facto do AMX-13-M24 vir a ter um multiplicador de 1,25 versus 0,8 do E.B.R. (1954), o AMX recebe 2500 SL/min enquanto o E.B.R. 4000 SL/min.

Aeronaves

Aviões

Q. Agora que temos aviões modernos de 4ª geração está planeada a introdução de assentos ejetáveis para animações de aviões de nível mais elevado quando são destruidos? Neste momento todos os veículos usam a mesma ajeção com pára-quedas (provenientes dos veículos da segunda guerra mundial) em vez das ejeções mais realísticas.

  • Sim, temos planos e esperamos introduzir este ano.

Q. Com mais sistemas de contramedidas que contêm múltiplos tipos de contramedidas ao mesmo tempo como o BOZ do Tornado, veremos uma reformulação do sistema de contramedidas para que permita o casulo carregar e disparar diferentes tipos ao mesmo tempo? Para além disso, outros aviões como os Mirage 2000 e o Harrier GR.7 têm MAWS na realidade, o que neste momento está disponível em helicópteros mas não em aviões de asa fixa. Isso irá ser introduzido para aviação?

  • Como a maioria dos sistemas de contramedidas têm o mesmo calibre tanto para flares como chaff, e podem ser trocados, implementámos um sistema para escolher o rácio de diferentes tipos de contramedidas. No entanto, para sistemas como o BOZ onde o número de tipos de contramedidas é muito diferente e não pode ser trocado, tal sistema não é adequado e requer uma solução complexa. Sistemas como os MAWS não são universais - eles usam sensores de radiação infravermelha principalmente para detetar lançadores SAM, em contraste com os sensores de radiação ultravioleta por exemplo, em helicópteros modernos. A implementação deste sistema está nos nossos planos, mas é demasiado cedo para falar de datas.

Q. O Japão é uma das nações que carece de SAM de topo e CAS. Há planos para preencher estas lacunas com veículos próprios, ou adicionando uma forma de sub-árvore, digamos, Coreia do Sul?

  • De facto o Japão não possui jatos de ataque ao solo modernos, mas este ano planeamos adicionar aviões multifunções capazes de lidar com veículos terrestres.

Q. Planeiam voltar com o marcador para os aviões que podiam calcular na realdiade?

  • Estamos considerando implementar indicadores instrumentais, primeiro, como parte do HUD do cockpit, mas provavelmente em modo de terceira pessoa também.

Q. Há planos para transferir toda a aviação de BR 11.3+ em modo arcade para mapas de dimensão de Confronto Prolongado de 128x128km+ ? Jogar com jatos de 3ª e 4ª gerações em mapas desenhados para aviões a pistão não é muito interessante.

  • Não, nós não queremos transferir o topo completamente para mapas maiores, mas a sua quantidade irá ser certamente aumentada com certeza. Estamos a trabalhar e a preprar-nos para introduzir algumas missões maiores para aviões de topo.

Q. Têm planos apra ambiente mais funcional para bases aéreas para além das antiaéreas? Estações de RADAR e jamming destrutíveis, centros de controle de dones, mísseis balísticos e SAM que, quando destruídos, afetam a eficácia das antiaéreas? Alguns planos para pistas destrutíveis se houver mais que uma na partida?

  • Provavelmente sim.

Q. Têm planos para introduzir mísseis anti-radar para aviões que os têm? Em batalhas mistas de 11.0+ as SAM dominam os aviões, os mísseis anti-radar podem ajudar.

  • Sim, estamos considerando este tipo de míssil. Infelizmente há muitos problemas e os dados actuais de sua eficácia são controversos. De qualquer forma tais mísseis requerem muito esforço em recolher dados, e possivelmente simplificação específica em suas mecânicas. Por exemplo, sabemos que nenhum dos ARM produzidos em massa nos anos 1960 -1980 eram capazes de detetar e acertar eficazmente nas SAM usadas no War Thunder. Seus alvos eram principalmente sistemas como os S-75/S-300/Hawk/Patriot e com eficácia incerta. Mesmo assim, consideramos ARM como possível forma de equilíbrio contra AAAP de mísseis.

Q. Mais físicas para bombas de aviação? Tal como rácio de penetração blindagem/massa?

  • Sim, dano cinético está planeado para bombas de aviação.

Helicópteros

Q. Está sendo considerado incluir o AGM-114L para os helicópteros que os usavam, dado o avanço do armamento adicionado ao jogo desde a introdução das variantes dos Hellfire?

  • Este míssil não está considerado de momento pois é capaz de ignorar completamente cortinas de fumaça, o que se torna demasiado desequilibrado.

Navios

Q. Há notícias ou desenvolvimentos acerca das armadas francesa de alto mar ou costeira?

  • Continuem atentos às notícias.

Q. A atualização anterior trouxe alguma variedade de opções de camuflagens para contratorpedeiros em todas as nações. É possível vermos cuztomização de pequenos navios costeiros e o retorno de muitas skins do tempo da closed beta?

  • Sim, tais opções de customização para navios e barcos estão planeadas para as atualizações futuras.

Q. Neste momento os modos de jogo navais parecem suspensos. Por um lado temos sessões arcada/realísticas, que são demasiado arcada; Por outro lado temos Confronto Prolongado com batalhas enormes, tarefas dinâmicas e spawns progressivos, mas com mecânicas básicas arcada que parecem obsoletas. Para onde vão as batalhas navais? Serão mais arcade ou realísticas? Têm planos para introduzir alguma espécie de batalhas de simulação baseadas em Confronto Prolongado?

  • Temos planos para desenvolver ambos os modos. Batalhas de simulação não estão planeadas.

Q. Têm planos para introduzir um modo de voo em circuito para aviões de inteligência em batalhas navais?

  • Sim, temos planos para melhorar este modo e adicionar ao jogo nas próximas atualizações.

Q. Têm planos para rever o dano de fragmentos, que parecem calcular apenas massa de explosivo da munição? Neste momento o dano aos compartimentos da tripulação dos navios fazem apenas em forma de explosão externa e não fazem dano de explosão interna.

  • Acabámos de rever as mecânicas de dano de fragmentos no interior de compartimentos - funciona como programado, tal como antes. Neste momento não vemos razão para rever os danos de fragmentos aos compartimentos de tripulantes.

Outros

Q. Há alguma consideração em dividir os Battle Ratings para aviação e veículos terresrres? Muitos aviões têm desempenho forte ou fraco em um modo em relação ao outro (particularmente aviões de ataque), mas devido à influencia de um ou do outro, alguns veículos ficam em posições difíceis com base em seu armamento para alvos de superfície ou capacidade. Para os que preferem usar os aviões em batalhas de aviação, há alguma possibilidade de separar os Battle Ratings de ambos os modos?

  • Isto pode parecer estranho, mas de cada vez que discutimos esta ideia na equipe e vemos as estatísticas, verificamos que aviões que são espectáveis de ter bom desempenho com a divisão são de facto bastante eficazes em seus modos de jogo. Isto força-nos a cancelar esta opção.

A Equipe War Thunder

Ler mais:
Caixa de Ferramentas!
  • 8 abril 2024
Mad Thunder: Rage and Loot!
Roadmap: Possíveis alterações ao modelo de dano dos veículos terrestres
Review de Veículo: T14 e seu Decalque!
  • 15 abril 2024